Siga-nos

ELEIÇÕES 2022

Escândalo milionário de petistas na pandemia volta aos jornais na reta final das eleições

Publicado

em

Trata-se de um esquema em que o Consórcio Nordeste é acusado de desviar quase R$ 50 milhões destinados a compra de respiradores

Citado pelo presidente Jair Bolsonaro no último debate presidencial, o escândalo milionário envolvendo o Consórcio Nordeste voltou a ser manchete esta semana. Trata-se de um esquema em que o governador da Bahia, Rui Costa (PT) e o secretário do consórcio, Carlos Eduardo Gabas são acusados de desviar quase R$ 50 milhões.

Na última sexta-feira (21), a Revista Veja publicou uma reportagem com “a anatomia do escândalo” que pode ter levado milhares de pessoas à morte durante a pandemia, já que o dinheiro desviado deveria ter sido empregado na compra de respiradores.

Em 2020, apenas um ano depois da criação do Consórcio, Gabas e Rui Costa compraram 750 respiradores por 7,9 milhões de dólares, mais ou menos R$ 58,8 mil por unidade. O valor foi considerado muito superior ao preço de mercado, mesmo com a falta do item no mercado brasileiro, conforme alegado pelo Consórcio.

Após críticas ao valor da compra, a remessa não foi entregue e o dinheiro foi devolvido.

Logo depois, Gabas e Rui Costa usaram a estrutura administrativa do governo da Bahia para comprar 300 respiradores da Hempcare por R$ 48,8 milhões. Os equipamentos viriam da China, mas a empresa não entregou os aparelhos nem devolveu o dinheiro.

Outro fato também chamou a atenção: A Hempcare é uma empresa especialista em produtos derivados da maconha.

Quando questionado sobre a compra, Rui Costa disse que contratou a empresa por não dominar o inglês e ter confundido o nome, já que “care” significa “cuidado”, porém, “hemp” significa maconha em inglês.

De tão escandalosa, a compra foi denunciada por alguns membros do Consórcio e redundou na Operação Ragnarok. A investigação levou as autoridades a Cristiana Prestes, dona da Hempcare, do seu sócio, Luiz Henrique Ramos, e de Paulo de Tarso, dono da empresa Biogeoenergy, que virou substituta da Hempcare depois que a empresa decidiu não entregar os equipamentos chineses.

O assunto voltou à tona no último debate presidencial quando o ex-presidiário Lula acusou o presidente Bolsonaro de ser culpado pelas mortes da pandemia.

Em resposta, Bolsonaro disse que a polêmica CPI da Covid “não quis investigar 50 milhões (de reais) torrados em uma casa de maconha. Não chegou nenhum respirador, e daí, sim, irmãos nordestinos morreram por falta de ar, por corrupção.

Continue Reading
Deixar um comentário

You must be logged in to post a comment Login

Leave a Reply

© Copyright 2021 - 2024 - Revista Brasil

Isso vai fechar em 20 segundos